Patologias da ATM em Crianças e Adolescentes o Diagnóstico Esquecido

Este trabalho que está sendo apresentado neste post ganhou o terceiro lugar na apresentação de mesas clinicas no congresso da IAO (International Association for Orthodontics) April 2012, com o título – TMJ Pathologies in Children and Teenagers, the Overlooked Diagnosis. Patologias da ATM em crianças e adolescentes, o Diagnóstico Esquecido.

Nesse congresso apresentei uma conferência mais extensa sobre o mesmo tema.

Apresentei este trabalho em um congresso que reúne ortodontistas e ortopedistas de vários lugares do mundo. A intenção foi a de alerta-los sobre as patologias da ATM em crianças e adolescentes, porque independente da facilidade e simplicidade aparente de certos casos que se apresentam em nossas clínicas, a ATM pode estar comprometida. A avaliação da  ATM e o diagnóstico das suas patologias devem ser uma parte inseparável dos nossos procedimentos, não só na ortodontia e ortopedia mas em todas as áreas da odontologia.

Tenho apresentado nesta página diversos casos com a primeira e a segunda fase completas.

Nesta publicação VOU APRESENTAR SÓ A PRIMEIRA FASE como foi apresentada na mesa clínica e na conferência.

A paciente hoje em dia está em uma etapa avançada da segunda fase.

O IMPORTANTE NESTA PUBLICAÇÃO SÃO AS DIFERENÇAS ESTRUTURAIS CONSEGUIDAS NESTA PRIMEIRA FASE.

1Paciente, sexo feminino de 14 anos de idade se apresenta na consulta com queixa de dor nos dentes inferiores, dor nos ombros e estalos na ATM, do lado esquerdo.

A correção estética é um fator de importância para a paciente, mas a preocupação com a dor nos dentes inferiores  e o ruído gerado pelo estalo também constituem uma parte importante no relato da paciente e da mãe.

2 dentes

A oclusão da paciente nos sugere um caso sem maior dificuldade, um caso simples.

Neste caso seria muito fácil avaliar e diagnosticar rapidamente a necessidade de uma expansão superior para a acomodação e avanço da mandíbula e posteriormente resolver a deficiência vertical.

3 oclusaisMuitas vezes quando analisamos um caso para correção ortodôntica, podemos listar os possíveis fatores etiológicos que levaram o paciente a esse estado.

Quando avaliamos uma falha funcional precisamos ter em conta TODOS OS FATORES ETIOLÓGICOS ENVOLVIDOS NESSA DISFUNÇÃO.

4 panoramica Radiografia panorâmica inicial da paciente antes do tratamento.5 lateral cervical Radiografia lateral e da coluna cervical da paciente antes do tratamento.

Além da retificação da coluna cervical nota-se o inicio de uma inversão da curvatura fisiológica a partir de C4.

6 frontal Radiografia frontal inicial da paciente antes do tratamento.7 cefalometriaA cefalometria é uma parte importantíssima no diagnóstico e na correção dos casos, tanto na ortodontia como na ortopedia, MAS não é um exame para evidenciar patologia nas articulações temporomandibulares.

8 laminografia

A laminografia das articulações temporomandibulares em boca fechada e aberta é considerada como uma radiografia panorâmica das articulações temporomandibulares.

A laminografia das articulações temporomandibulares não pode ser comparada com uma tomografia computadorizada das articulações temporomandibulares, mas é um exame básico para uma primeira informação das articulações temporomandibulares.

8 laminografia corNesta mesma imagem com destaque de cor podemos apreciar a retroposição da ATM do lado esquerdo, a mudança do eixo de crescimento deste mesmo lado e a perda de espaço articular em ambos os lados.

A paciente relata um traumatismo quando pequena: “bati brincando no criado mudo no pescoço perto do mento”.

9 ampliação laminografia Ampliação da imagem da laminografia com realce de cor.Boca fechada, lado direito e esquerdo.10 ampliação laminografia Esta imagem ampliada das articulações temporomandibulares em boca fechada, direita e esquerda NÃO  MOSTRA O ESTADO DO DISCO ARTICULAR NEM DOS LIGAMENTOS. 11 ressonancia 12 ressonancia Quando o paciente vai ao consultório com algum tipo de disfunção, o tratamento do profissional deveria estar direcionado para o restabelecimento da função normal, quando possível.

Para saber o que é função normal, devemos entender que A ANATOMIA É A PLATAFORMA ONDE A FISIOLOGIA ATUA.

13 ressonancia  É necessário conhecer a anatomia funcional de qualquer parte de nosso organismo para entender a fisiopatologia de qualquer parte de nosso organismo.

14 ressonancia

RNM da ATM esquerda boca fechada da paciente antes do tratamento

RNM da ATM esquerda boca fechada da paciente antes do tratamento:

Leve irregularidade da cortical óssea da cabeça da mandíbula.

O disco articular encontra-se luxado anteriormente.

LEMBRAR: ESTA É A ATM de uma adolescente de 14 anos de idade.

Não apresentava crepitações NEM DOR NA ATM, só um estalo.

Tenho lido diferentes opiniões de colegas expressando que o conhecimento da informação da imagem não modificaria em nada a conduta a ser seguida no tratamento. 

15 ressonancia

RNM da ATM esquerda boca fechada da paciente antes do tratamento

Outro corte da mesma RNM:

RNM da ATM esquerda boca fechada da paciente antes do tratamento:

Leve irregularidade da cortical óssea da cabeça da mandíbula.

O disco articular encontra-se luxado anteriormente.

LEMBRAR: ESTA É A ATM de uma adolescente de 14 anos de idade.

Não apresentava crepitações, NEM DOR NA ATM, só um estalo.

Tenho lido diferentes opiniões de colegas expressando que o conhecimento da informação da imagem não modificaria em nada a conduta a ser seguida no tratamento. 

16 ressonancia

RNM da ATM esquerda boca fechada da paciente antes do tratamento

Outro corte da mesma RNM:

RNM da ATM esquerda boca fechada da paciente antes do tratamento:

Leve irregularidade da cortical óssea da cabeça da mandíbula.

O disco articular encontra-se luxado anteriormente.

LEMBRAR: ESTA É A ATM de uma adolescente de 14 anos de idade.

Não apresentava crepitações NEM DOR NA ATM, só um estalo.

Tenho lido diferentes opiniões de colegas expressando que o conhecimento da informação da imagem não modificaria em nada a conduta a ser seguida no tratamento. 

19 ressonancia

RNM da ATM direita boca fechada da paciente antes do tratamento

RNM da ATM direita boca fechada da paciente antes do tratamento:

Aplainamento superior e osteófito marginal anterior.

O disco articular encontra-se luxado anteriormente.

LEMBRAR: ESTA É A ATM de uma adolescente de 14 anos de idade.

Não apresentava crepitações, NEM DOR NA ATM, só um estalo.

Tenho lido diferentes opiniões de colegas expressando que o conhecimento da informação da imagem não modificaria em nada a conduta a ser seguida no tratamento. 

20 ressonancia

RNM da ATM direita boca fechada da paciente antes do tratamento

Outro corte da mesma RNM

RNM da ATM direita boca fechada da paciente antes do tratamento:

Aplainamento superior e osteófito marginal anterior.

O disco articular encontra-se luxado anteriormente.

LEMBRAR: ESTA É A ATM de uma adolescente de 14 anos de idade.

Não apresentava crepitações NEM DOR NA ATM, só um estalo.

Tenho lido diferentes opiniões de colegas expressando que o conhecimento da informação da imagem não modificaria em nada a conduta a ser seguida no tratamento. 

21

Quando o paciente vai ao consultório com algum tipo de disfunção, o tratamento do profissional deveria estar direcionado para o restabelecimento da função normal.

Como poderia este profissional ter sucesso se não compreende o que é função normal?

Lembrar: A ANATOMIA É A PLATAFORMA ONDE A FISIOLOGIA ATUA.

Quando um paciente como este se apresenta com lesões, tanto nas corticais ósseas como no disco articular e seus ligamentos, A PERGUNTA DEVERIA SER: POSSO MELHORAR ESTA SITUAÇÃO?

Se a resposta for positiva é importante documentar de forma objetiva a melhora, para poder informar aos colegas, sempre ávidos por aprender e sem medo de mudar paradigmas. SE NÃO POSSO MELHORAR ESTA SITUAÇÃO, devido a diferentes etiologias  e as suas sequelas, devemos analisar se podemos melhorar a qualidade de vida do nosso paciente, e informa-lo  sobre as dificuldades e limitações de cada caso.

22

Lembrar que doenças sistêmicas, traumatismos, infecções, dano no sitio de crescimento, interrupção do equilíbrio muscular, podem exercer uma profunda influência no complexo craniofacial durante esta crítica fase de crescimento.

23 eletromiografia inicial Registro eletromiográfico dinâmico em oclusão habitual. Solicita-se ao paciente que abra a boca, feche a boca, morda forte e degluta. Neste registro podemos observar que a paciente não consegue manter a força na mordida, mesmo tendo sido instruída a fechar a boca e morder forte antes do comando de abertura. 24 registro magnetografico

Os músculos mastigatórios da paciente foram desprogramados eletronicamente e foi registrada uma mordida em posição de repouso neurofisiológico utilizando um magnetógrafo.

Lembrar que para registrar a mordida sempre devem ser tomadas em conta as informações obtidas nas imagens e os objetivos individualizados para cada caso clínico.

A paciente apresenta um espaço livre patológico de 4,3 mm e uma retroposição de 2,1 mm.

Este registro é tridimensional.

25 DIO

Com estes dados construímos um DIO (dispositivo intraoral). Este dispositivo deve ser testado electromiograficamente para representar a posição ideal dos músculos.

26 eletromiografia DIO Registro eletromiográfico dinâmico com o dispositivo intraoral em posição neurofisiológica. Neste registro podemos observar que a paciente consegue manter a força na mordida, aumentar a força dos masseteres e equilíbrar ambos digástricos.

27 ELETROS COMPARATIVAS Comparação dos registros eletromiográficos da paciente, o primeiro em oclusão habitual e o segundo com o dispositivo intraoral em posição neurofisiológica.28 perfil comparativasPostura em pé (postura ortostática)lateral direita, plano sagital:

Imagens comparativas posturais de perfil:

Melhora na  posição de antepulsão do tronco;

Melhora na rotação anterior do ombro;

Parece que as escapulas encontram-se planas, mais neutras;

Na primeira foto observa-se uma retificação da curvatura fisiológica cervical e na segunda foto um aumento da mesma;

Posição da cabeça mais equilibrada próxima do bom alinhamento do centro de gravidade onde os flexores do pescoço não parecem contraídos.

30 c7 comparativasComparação da radiografia lateral e da coluna cervical da paciente em oclusão habitual e em oclusão neurofisiológica.

Melhora no aumento da curva lordótica.  Aumento de espaços intervertebrais.31 comparativas do perfil Comparação das radiografias laterais com o perfil em oclusão habitual e em oclusão neurofisiológica.

Recuperação da altura facial inferior.32 lamino comparativasComparação das laminografias da ATM em oclusão habitual e em oclusão neurofisiológica.

Observar a descompressão das articulações temporomandibulares33 lamino comparativas COR Nesta mesma imagem com destaque de cor podemos apreciar melhor a descompressão das articulações temporomandibulares e compara-la com a imagem da laminografia em oclusão habitual.34 lamino comparativas COR AMPLIADAS

Ampliação da imagem comparativa das laminografias da ATM em oclusão habitual e em oclusão neurofisiológica. ATM direita e esquerda boca fechada.35 lamino comparativas COR AMPLIADAS PROVISORIAS

Ampliação da imagem da laminografia EM POSIÇÃO NEUROFISIOLÓGICA com realce de cor em boca fechada, lado direito e esquerdo.

Esta imagem, MESMO MOSTRANDO A DESCOMPRESSÃO ARTICULARNÃO COMPROVA SE RECAPTURAMOS O DISCO ARTICULAR, NEM COMPROVA SE MELHORAMOS AS CORTICAIS ÓSSEAS COM IRREGULARIDADES OBSERVADAS NA RNM INICIAL DA PACIENTE.

LEMBREMOS AS IMAGENS INICIAIS DA RNM

14 ressonancia

ATM Esquerda boca fechada antes do tratamento

Imagens comparativas após a primeira fase de tratamento.

36 RNM AFTER TREATMENT

Comparação dos cortes sagitais da RNM da ATM esquerda boca fechada antes e após a primeira fase do tratamento.

Observar a boa relação entre a cabeça mandibular e o disco articular.

Observar a remodelação positiva da cortical óssea.

LEMBREMOS AS IMAGENS INICIAIS DA RNM

15 ressonancia

ATM esquerda boca fechada antes do tratamento.

Imagens comparativas após a primeira fase de tratamento.

39 RNM AFTER TREATMENT 2

Comparação dos cortes sagitais da RNM da ATM esquerda boca fechada antes e após a primeira fase do tratamento.

Observar a boa relação entre a cabeça mandibular e o disco articular.

Observar a remodelação positiva da cortical óssea.

LEMBREMOS AS IMAGENS INICIAIS DA RNM

16 ressonancia

ATM esquerda boca fechada antes do tratamento.

Imagens comparativas após a primeira fase de tratamento.

40 RNM AFTER TREATMENT

Comparação dos cortes sagitais da RNM da ATM esquerda boca fechada antes e após a primeira fase do tratamento.

Observar a boa relação entre a cabeça mandibular e o disco articular.

Observar a remodelação positiva da cortical óssea.

LEMBREMOS AS IMAGENS INICIAIS DA RNM

19 ressonancia

ATM direita boca fechada antes do tratamento.

Imagens comparativas após a primeira fase de tratamento.

42 RNM AFTER TREATMENT

Comparação dos cortes sagitais da RNM da ATM direita boca fechada antes e após a primeira fase do tratamento.

Observar a boa relação entre a cabeça mandibular e o disco articular.

Observar a remodelação positiva da cortical óssea.

LEMBREMOS AS IMAGENS INICIAIS DA RNM

20 ressonancia

ATM direita boca fechada antes do tratamento.

Imagens comparativas após a primeira fase de tratamento.

44 RNM AFTER TREATMENT

Comparação dos cortes sagitais da RNM da ATM direita boca fechada antes e após a primeira fase do tratamento.

Observar a boa relação entre a cabeça mandibular e o disco articular.

Observar a remodelação positiva da cortical óssea.

A paciente atualmente se encontra na segunda fase do tratamento

47 3 ATM DIREITA

Comparação dos cortes sagitais da RNM da ATM direita boca fechada , após a primeira fase do tratamento e no controle da segunda fase do tratamento ainda não concluído.

Nesta imagem temos uma terceira RNM que não foi apresentada no Congresso da IAO.

As estruturas continuam melhorando.

47 3 ATM ESQUERDA

Comparação dos cortes sagitais da RNM da ATM esquerda boca fechada , após a primeira fase do tratamento e no controle da segunda fase do tratamento ainda não concluído.

Nesta imagem temos uma terceira RNM que não foi apresentada no Congresso da IAO.

As estruturas continuam melhorando.

A avaliação da  ATM e o diagnóstico das suas patologias devem ser uma parte inseparável dos nossos procedimentos, não só na ortodontia e ortopedia mas em todas as áreas da odontologia.

Temos que saber:

Existe patologia?

Se positivo, quais estruturas estão danificadas?

Como esta condição pode influenciar na função e no futuro da articulação do paciente?

Tenho possibilidade de dar ao meu paciente a condição para sarar as estruturas danificadas ou de melhora-las?

O ideal é levar essas estruturas o mais perto da função sadia, quando possível.

Isto SEMPRE é possível? CLARO QUE NÃO, mas quando possível, as estruturas devem ser reparadas.

Logicamente, o diagnóstico diferencial permite um prognóstico favorável ou não favorável, NÃO TODAS AS ARTROPATIAS PERMITIRÃO O RESULTADO OBTIDO NESTE CASO, MAS ISSO FAZ PARTE DO DIAGNÓSTICO INICIAL, que deve incluir todos os sistemas envolvidos.

7 respostas em “Patologias da ATM em Crianças e Adolescentes o Diagnóstico Esquecido

  1. Pingback: Página de estudos e investigação da ATM. Um ano de publicações. | Pagina de estudos e investigação da ATM

Deixe uma resposta para lidiayavich Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s